Como criar mapas conceituais?

23 de junho, 2017
1677
0

Conseguir visualizar todo o conteúdo de forma ampla, e organizado em um só lugar torna muito mais fácil e produtivo o resgate dos assuntos estudados. Os mapas conceituais são formas de representar esse conhecimento de forma gráfica, conseguindo dispor os temas de acordo com a relevância e abrangência. Nesse tipo de esquema, os tópicos são colocados dentro de círculos ou caixas de texto, e ligados por meio de linhas que ilustram as conexões.

Os mapas conceituais são fruto dos estudos do pesquisador David Ausubel, que introduziu, durante a década de 1960, a Teoria da Aprendizagem Significativa,  a qual definiu que o aprendizado só acontece quando os conceitos estudados são associados a outros, em um processo que motiva alterações na estrutura cognitiva.

Além dos mapas conceituais, existem outros mecanismos capazes de alterar estruturas cognitivas e aprimorar a memorização. Quer saber mais? Leia o nosso artigo: 4 hacks mentais para absorver o conteúdo mais rápido.

Como criar mapas conceituais?

O processo de desenvolvimento da ferramenta começa com a identificação e especificação dos temas mais importantes dentro do assunto estudado. É importante que consiga descrevê-los em no máximo duas ou três palavras.

Organização e hierarquização

Ordene os temas de acordo com a relevância e abrangência dentro do assunto geral. Para isso, uma dica é definir pesos para cada um deles, certificando-se que apenas dois ou três sejam marcados como os maiores. Por exemplo, ao criar um mapa conceitual com os seguintes temas: oxigênio, madeira, árvore, plantas, animais, casa, papel e humanos. Entre todas as alternativas, a árvore possui maior abrangência, podendo ser conectado a ela os termos: madeira, oxigênio, casas e papel.

O passo seguinte é listar os principais temas, no máximo três, e inseri-los no centro ou parte superior da folha em que irá criar a ferramenta, grafados em tamanho maior para facilitar a visualização.

Concluída essa etapa, coloque os temas que se conectam diretamente com o primeiro ao redor ou abaixo dele, dependendo da disposição do mapa. No nosso exemplo, ao redor de árvore, vamos posicionar: madeira, oxigênio, casas e papel. O processo deve ser repetido para os outros níveis. Podemos colocar humanos e animais ligados ao termo oxigênio.

Interconexões

Os conteúdos não se relacionam apenas àqueles em que estão ligados. Por isso, a etapa seguinte da construção dos mapas conceituais é encontrar essas interconexões. Voltando ao nosso exemplo. Humanos estão ligados hierarquicamente ao oxigênio, mas eles também se conectam a animais e casa. Por isso, devemos traçar uma linha entre essas interconexões para criar uma representação gráfica delas.

Pronto. O seu mapa conceitual está quase finalizado. Como último passo, você deve visualizá-lo e identificar formas de aprimorá-lo. Seja alterando as posições, retirando ou mesmo inserindo novos itens.

Ao transportar esse conceito para o seu dia a dia, você terá dificuldade no início da criação do mapa conceitual. Isso é normal. É importante persistir e continuar tentando, pois quando dominar essa técnica, estudar antes das provas será muito mais simples e produtivo.

Já utilizou ou planeja utilizar os mapas conceituais na sua preparação? Conta para a gente nos comentários.

 

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa