Como é feito o exame de surdez?

11 de dezembro, 2017
815
0

De acordo com dados do Governo Federal, 9,7 milhões de brasileiros possuem algum tipo de deficiência auditiva. Na maioria dos casos, a condição é provocada por um fator externo, e a extensão do dano aumenta com o passar do tempo, quando os cuidados necessários não são tomados. Nesse contexto, o diagnóstico de surdez é fundamental para evitar a deterioração da audição.
 
Responsável pela diagnóstico e tratamento de patologias da cabeça e do pescoço, especialmente, ouvido (oto), nariz (rhino) e garganta (laringo), o otorrinolaringologista é o especialista que cuida dos problemas auditivos. Para a identificação do grau e tipo de surdez e sua etimologia, o profissional utiliza exames físicos, anamnese e exames complementares.
 
Audiometria

Normalmente realizado pelo fonoaudiólogo, esse exame ajuda o profissional na determinação da causa, do grau e do tipo de alteração audiométrica. Existem dois tipos principais de audiometria: tonal e vocal.
 
Na audiometria tonal, utiliza-se fones de ouvido e um vibrador ósseo para emitir tons puros em diversas frequências e intensidades, conseguindo determinar o grau e tipo de surdez com a identificação do menor estímulo audível.
 
Já na audiometria vocal, a pessoa deve repetir as palavras e monossílabos ouvidos em um fone de ouvido. Resultado inferior a 88% de acerto no exame indica algum grau de surdez.
 
Imitanciometria

Esse exame é utilizado para avaliar a integridade funcional das estruturas do sistema auditivo. Para a realização da imitanciometria, uma pequena sonda é colocada na entrada do conduto auditivo externo, que é capaz de detectar presença de secreção no ouvido médio, lesões das células ciliadas e mobilidade da cadeia ossicular. O método é indolor e altamente recomendado para uso em crianças pequenas, pois o seu sucesso não depende da participação do paciente no processo.
 
PEATE

O objetivo do PEATE (potenciais evocados auditivos de tronco encefálico) é examinar as vias auditivas nervosas que vão da orelha interna ao tronco encefálico, conseguindo precisar a existência de perda auditiva, seu tipo e grau. Com o auxílio de eletrodos, colocados na orelha e testa do paciente, o exame registra os impulsos elétricos provocados por estímulos sonoros enviados por fones de ouvido.
 
Indicado para crianças e adultos, o PEATE é realizado quando os pacientes estão completamente relaxados, no caso de crianças, o exame pode ser feito durante o sono ou após aplicação de anestesia.
 
Diagnóstico e prevenção

Como apontamos no início do artigo, muitos dos casos de perda da audição acontecem por um fator externo e, por vezes, evitável, podendo ocorrer a reversão do dano ou mesmo o impedimento da progressão da perda auditiva. Muitos otorrinolaringologistas recomendam a realização de teste de audiometria anualmente, assim como acontece com outros exames de rotina para garantir o diagnóstico precoce.
 
Dia Nacional da Surdez

O dia 10 de novembro foi escolhido para chamar atenção para os cuidados em relação à saúde auditiva, com campanhas de incentivo à realização de exames de rotina para identificar a perda da audição.
 
Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com os seus amigos!

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa