Especialização em Neonatologia para médico

05 de fevereiro, 2020
1
0
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  

Como já vimos por aqui, uma das áreas que contam com maior número de profissionais titulados é a especialização em Pediatria. Considerando a taxa de natalidade e o cuidado que devemos ter desde o começo da vida, a importância desse profissional é inquestionável e a procura por residências nessa área são sempre constantes. Porém, existe uma área específica da Pediatria que tem uma grande defasagem de profissionais: a Neonatologia.

O que é Neonatologia?

A Neonatologia é uma especialização dedicada aos cuidados e saúde de bebês à partir do nascimento até cerca de 28 a 30 dias de vida. A área é responsável, por exemplo, pela diminuição dos índices de mortalidade infantil e, também, de morbidade, já que conseguem entender melhor o recém-nascido, encontrando melhor forma de cuidar deste paciente.

Residência ou pós-graduação?

Independentemente da sua busca, é importante reiterar que este curso é destinado à pediatras.

Sabia mais

As diferenças básicas entre os caminhos acadêmicos escolhidos serão: área de atuação e tempo de curso.

A pós-graduação contará, em média, com 400 horas de carga horária, com encontros semanais (geralmente aos fins de semana). Não contará com bolsa, e tem duração média de 20 meses. O curso será voltado para pediatras que querem aperfeiçoar ou atualizar seus conhecimentos em pacientes recém-nascidos.

Já a residência funciona como qualquer outra, com carga horária mínima de 2880 horas (60 horas semanais, já incluindo plantões de, no máximo, 24 horas semanais) com oferecimento de bolsa e estágio obrigatório. Ela é direcionada a quem quer trabalhar especificamente com pacientes que possuem até 30 dias de vida. Ao terminar o programa, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, o médico residente deverá ter as seguintes habilidades:

Área Cognitiva:
– Interpretar e discutir os dados de morbimortalidade perinatal;

– Diferenciar os recém-nascidos de alto e médio risco;

– Realizar monitorização dos sinais vitais;

– Conhecer a etiologia, fisiopatologia e o diagnóstico das doenças neonatais;

– Interpretar exames subsidiários laboratoriais, gráficos e de imagem;

– Tratar e prevenir as doenças prevalentes no período neonatal;

– Prescrever nutrição enteral e parenteral;

– Conhecer a morbidade associada ao transporte neonatal;

– Avaliar o risco pré-operatório e as complicações pós-operatórias;

– Formular o prognóstico neonatal e pós-neonatal;

– Acompanhar o desenvolvimento de neonatos de risco, incluindo os de muito baixo peso;

– Orientar os pais quanto aos cuidados com o recém-nascido;

– Avaliar e orientar a alta hospitalar do recém-nascido;

– Favorecer o vínculo mãe-filho e a humanização ao atendimento perinatal;

– Organizar a assistência perinatal.

Área Afetiva:

– Reconhecer a importância de assistir globalmente o recém-nascido e sua família;

– Sensibilizar a família da importância e manutenção do aleitamento materno;

– Sensibilizar-se ante à separação mãe-filho nas internações;

– Reconhecer os aspectos bioéticos que envolvem o paciente de extremo baixo peso, a presença de doença grave e/ou de anomalia congênita e a morte no período perinatal;

– Reconhecer a importância do trabalho em equipe e multiprofissional;

– Adquirir e/ou desenvolver o espírito científico e buscar atualização.

Área Psicomotora:

– Examinar o recém-nascido;

– Iniciar o atendimento imediato incluindo procedimentos de reanimação;

– Realizar monitorização da temperatura, cardiorrespiratória e hemodinâmica;

– Manusear incubadora, berço aquecido, monitor cardíaco e de pressão, oxímetro e capnógrafo, bombas de infusão, bilirrubinômetro, aparelhos de fototerapia e ventiladores;

– Realizar sondagem naso-orogástrica, intubação traqueal, ventilação manual e mecânica, cateterismo umbilical arterial e venoso, administração de surfactante, medida de pressão arterial invasiva e não invasiva;

– Realizar punção capilar, arterial, venosa, lombar, abdominal e vesical;

– Realizar acesso vascular central por punção percutânea, drenagem torácica e exsanguíneo-transfusão;

– Colher exames laboratoriais;

– Seguir técnicas para antissepsia pessoal, de equipamentos e ambiental;

– Transportar recém-nascidos criticamente doentes.

Saiba mais

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa