Nanotecnologia na medicina: a revolução invisível

19 de junho, 2017
1356
0

Um dos campos mais promissores da medicina, o uso de nanotecnologias transformará por completo todos os processos de diagnóstico e tratamento de enfermidades. Com os avanços da robótica e da biologia molecular, a cada dia, estamos mais perto de um futuro em que no lugar de comprimidos e injeções, os médicos receitarão nanomáquinas, nanoestruturas e nanorobôs para eliminar a causa da enfermidade com o mínimo de efeitos colaterais.

Com a absorção da nanotecnologia pela medicina, o processo de eliminação de células malignas, sem afetar as saudáveis, vai ser mais simples e eficaz. O tratamento de doenças atualmente incuráveis, como diabetes, Alzheimer e Parkinson passará a ser possível e acessível a todos.

Leia também:

Wearables: saiba por que esses dispositivos são o futuro da medicina

Entenda a importância dos avanços da medicina genômica

O que é nanotecnologia

Uma das áreas mais novas da ciência, a nanotecnologia engloba o estudo e desenvolvimento de equipamentos para a manipulação de estruturas em escala atômica e molecular. Seu nome deriva do prefixo nano, que designa uma escala numérica que equivale a um bilionésimo de metro. Para ter ideia do quão pequeno é um nanomêtro, ele é 100 mil vezes menor que a espessura de um fio de cabelo.

Diariamente temos contato com produtos que só foram possíveis graças aos avanços da nanotecnologia, como os que permitem que você consiga ler esse artigo nesse momento. Os processadores, presentes nos computadores e celulares, são construídos com a manipulação de diversos componentes em escala nanômica.

Nanomedicina

Recebe esse nome a aplicação das nanotecnologias na medicina. A nanomedicina se baseia no diagnóstico e tratamento de enfermidades ou lesões traumáticas em nível celular ou molecular com ajuda de nanorobôs. Além da cura, a nanomedicina prevê uma constante vigia para o aparecimento dos primeiros sintomas de qualquer doença, permitindo o tratamento em estado inicial.

Os mais otimistas preveem que até 2025 será possível injetar nanosistemas autônomos no organismo humano. Esses dispositivos serão capazes de realizar a análise e diagnóstico de qualquer alteração em nível celular e ter autonomia para elaborar e executar nanoterapias para tratar o problema diretamente nas células doentes, preservando as sadias.

Nanotecnologia na medicina hoje

Tudo o que foi apresentado aqui pode parecer um futuro longínquo, porém, a nanomedicina já é uma realidade. No campo da neurologia, por exemplo, a Universidade de Miami tem tido grande progresso no desenvolvimento e utilização de nanopartículas magnéticas para estimular o crescimento e alongamento dos axônios dos neurônios. Nessa mesma área, a Universidade da Califórnia conseguiu o crescimento de 4 milímetros de neurônios em ratos, utilizando nanofibras.

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe o artigo nas redes sociais!

Matérias mais lidas

Quais são as áreas da medicina?

Clique e leia a matéria completa

Quanto ganha um cirurgião geral?

Clique e leia a matéria completa

Pílula anticoncepcional: entenda como funciona esse método contraceptivo

Clique e leia a matéria completa